berinjela assada com gorgonzola

definitivamente um dos meus pratos preferidos. é tipo uma lasanha de berinjela coberta com gorgonzola borbulhante e molhinho de tomate picante…

ingredientes

4 colheres de sopa de azeite

1 cebola roxa picadinha

2 dentes de alho picadinhos

uma lata de tomate pelatti

1 pimenta vermelha picadinha (usei dedo de moça)

um punhado de manjericão fresco

2 berinjelas em fatias grossas

150g de gorgonzola

sal e pimenta

preparo

refogue a cebola e o alho em metade do azeite por 3 minutos. adicione os tomates e a pimenta e cozinhe por uns 10 minutos, até o molho reduzir e dar uma engrossada. depois acrescente o manjericão e acerte o sal e a pimenta (se ainda for preciso mais pimenta, né?)

molho de tomate com pimenta e manjericão

aqueça o restante do azeite numa frigideira grande e pesada e frite as rodelas de berinjela até que fiquem douradas dos dois lados

berinjela tostadinha, nham

chegou a hora de montar o prato: pegue uma assadeira refratária e coloque uma camada de berinjela. cubra com metade do molho e faça outra camada de berinjela. cubra com o restante do molho e o gorgonzola despedaçado. asse no forno pré-aquecido a 200ºC por 15 minutos.

COISA MAR LINDA!

patagônia contada pelo estômago

começando em buenos aires:

parrilla do la caballeriza

assado de tira, meu corte preferido

“salada” de arroz (frio!), com roquefort e bacon

a conta em português!

em puerto piramides, peninsula valdés:

quilmes, óbvio

esperta, enchendo a cara antes de andar de barco

vieiras gratinadas com preço de frango a passarinho

bocó

em el calafate, no la tablita

cordeiro patagônico. seria sinistro se não fosse tão delicioso

degustação para duas pessoas

duas pessoas? to chocada.

no glaciar perito moreno:

whisky com gelo da geleira e alfajor no fim da caminhada

almoço preparado pelo luciano no intervalo de uma cavalgada

bifinho e cebolas fritando na chapa, uma das melhores refeições de toda a viagem

de volta à cidade, mais uma montanha de carne: dessa vez no casimiro biguá

em torres del paine, sem comida:

em el chaltén:

uma quantidade impressionante de cervejas artesanais

algumas boas…

outras nem tanto

chocolate imitando tronco de árvore

chocolate imitando queijo

caçarola de legumes com costeleta de cordeiro. nevava do lado fora, era o prato perfeito para esquecer o frio.

em ushuaia:

a descoberta da beagle

degustação de mariscos num restaurante chileno em território argentino. na real, era o fim do mundo

e pra fechar com chave de ouro…

um beijo da centolla!

rrilla do la caballeriza

lembrancinhas de viagem

em novembro de 2009 nós passamos 14 dias percorrendo a patagônia: baleias e pinguins na península valdés, geleiras em el calafate, trilhas belíssimas em el chalten e por fim chegamos ao fim do mundo em ushuaia. além das memórias é fotografias incríveis, óbvio que eu voltei carregada de comida! infelizmente as três caixas de alfajor não duraram o suficiente para serem fotografadas…

lembrancinhas patagônicas 1

1- cerveja beagle, de ushuaia. amei tanto essa india pale ale que foi a única coisa que tomei nos três dias que estivemos em ushuaia. e beagle, pra quem não sabe, era o nome do navio da expedição do darwin na américa do sul. virou até livro, corre atrás.

2- pilha de patês vagabundos: de javali, salmão, cervo, truta e cordeiro. tão vagabundos, mas tão vagabundos que a truta e o javali tem o mesmo gosto.

3- açafrão de verdade comprado a 10 reais. preço de banana, devia ter feito estoque.

4- mais patês: de javali, salmão e cervo. esses eram incríveis, mas bem mais caros que os vagabundos da primeira pilha.

lembrancinhas patagônicas 2

5- conserva de carpincho. a wikipedia me falou que carpincho é a mesma coisa que capivara e darwin comentou em seu diário que foi a melhor carne que ele já comeu. eu diria que está no top 3.

6- molho chimichurri picante, um clássico portenho.

7- conserva de salmão. ainda não comi, não posso palpitar.

8- salame de javali. devia ter trazido 3, acabou no café da manhã.

9- masala defumado, mais um temperinho pra minha coleção.

10- conservas de cogumelo e berinjela. comi a de berinjela e não gostei, aí nem abri de cogumelo…

11- caixa de chá diliça, comprei a de sabores sortidos e super recomendo.

12- e por fim… QUEIJOS, paixão do meu estômago. o amarelinho é de ovelha genérico e o verde é um sardo temperado com pimenta do reino. esse sardo eu não conhecia, achei sensacional. faz a linha de um pecorino,  salgadinho e picante.

ai, como foi bom relembrar essa viagem…acho que vou fazer um post com as coisas que comemos por lá!

frittata de tomate e ervilha

almocinho rápido de domingo-preguiça, pronto em menos de 20 minutos.

ingredientes

125g de ervilhas frescas ou congeladas. eu prefiro usar ervilha congelada a usar aquelas de lata. o sabor é mil vezes melhor, a textura é mais firme e a cor é mais viva.

2 colheres de sopa de azeite

cebolinha verde fatiada

1 dente de alho picadinho

125g de tomate cereja cortados ao meio

6 ovos (não se assuste, a receita inteira faz 4 pratos)

um punhado de hortelã picadinha

sal e pimenta

preparo

se usar ervilha fresca, cozinhe por 3 minutos em água fervente com sal.

numa panela anti-aderente, refogue as cebolinhas e o alho por 2 minutos e depois acrescente os tomates e as ervilhas.

bata os ovos com a hortelã e tempere com sal e pimenta. espalhe essa mistura sobre os legumes e cozinhe por 4 minutosa, até ficar firme.

o próximo passo você pode fazer de várias maneiras:

– vire a frittata para um prato grande e volte com o outro lado para a panela. como a minha frigideira pesa 98kgs, essa não é uma opção viável.

– tampe a panela, abaixe o fogo e deixe cozinhar mais uns 3 minutos. faço desse jeito, mas só vale se a panela realmente ficar tampada. caso contrário, o ovo não vai cozinhar na parte de cima.

– essa é a dos sonhos: se você tiver um forno com grill elétrico, transfira a panela (se for toda de metal, claro) e cozinhe por mais 3 minutos. dá pra colocar umas raspas de parmesão aqui, o queijo vai derreter e gratinar.

sirva com uma saladinha verde e pronto!

preciso trabalhar nas minhas técnicas de apresentação...

camarão oriental com acelga

acabei de fazer esse prato para levar no almoço de amanhã, mas ficou TÃO BOM que comi tudo vendo lost… cheguei a lamber a panela, ai que vergonha.

ingredientes

1/2 kg de camarão limpo

3 dentes de alho fatiados

2 colheres de chá de gengibre fresco ralado

1 pimenta dedo de moça picadinha, sem sementes (a não ser que você queira um fogo na comida, aí manda ver!)

raspa e suco de 1 limão (usei siciliano, sempre)

2 colheres de sopa de molho de peixe tailandês (nampla)

5 folhas de acelga (ou repolho) em pedaços

1 colher de sopa de óleo de gergelim

1 colher de sopa de gergelim torrado

1 colher de sopa de farinha de arroz (ou creme de arroz ou maisena)

1 colher de sopa de molho shoyu

sal

preparo

misture o alho, gengibre, pimenta, suco e raspa de limão e o molho de peixe. adicione os camarões e misture bem. deixe marinando por uns 5 minutos

aqueça o óleo de gergelim numa panela grande (eu usei uma wok) e frite os camarões com a marinada por 5 minutos, temperando com sal (menos sal do que você usaria normalmente, porque o ainda vai entrar o shoyu. nessa parte aqui eu errei: coloquei a acelga para fritar junto com os camarões. os talos ficaram ótimos, mas s folhas desapareceram no final. portanto, fica a dica: acrescente os talos de acelga junto com os camarões, mas as folhas só entram no final do preparo.

quando o camarão já estiver cozido, acrescente a farinha de arroz (só o suficiente para engrossar o caldo), o shoyu e finalize salpicando o gergelim, que vai dar uma crocância bem bacana!

cadê a acelga?

percebeu que os camarões são uma ótima base e vc pode substituir a acelga por outros vegetais? repolho, cenoura, brocólis, couve-flor, ervilha, vagem, broto de feijão… é a receita mais cinco estrelinhas que você já fez pra limpar a geladeira!

salmão assado em papillote

o original era assado em folha de bananeira, mas aí é querer demais da minha pessoa. assei numa trouxinha de papel alumínio e super deu pra gasto, tá?

ingredientes

um punhado de coentro fresco picado grosseiramente

3 colheres de sopa de hortelã fesca picada

2 dentes de alho amassados (ou ralados)

1 colher de sopa de gengibre fresco ralado

1 pimenta vermelha sem sementes, picadinha

2 colheres de chá de cominho moído

1 colher de chá de semente de coentro em pó

2 colheres de chá de açúcar mascavo

2 colheres de sopa de suco de limão

150ml de leite de côco

4 filés grossos de salmão

4 quadrados de 3 x 30 cm de folha de bananeira ou de papel alumínio

sal

preparo

misture o coentro fresco, hortelã, alho, gengibre, pimenta, cominho, coentro em pó, açúcar, limão e leite do côco num liquidificador ou processador. tempere com sal e reserve.

coloque cada filé de salmão no centro da folha de alumínio ou e bananeira e cubra com a mistura de temperos. cuidadosamente dobre o pacotinho de modo a cobrir completamente o peixe. eu não dobro, vou enrolando as pontas bem apertadinhas para não deixar o vapor do cozimento escapar.

coloque os pacotinhos numa assadeira e leve ao forno pré-aquecido a 200ºC por 15 minutos.

retire os pacotinhos do forno e tente abrir somente na mesa, na hora de servir: o cheiro é delicioso!

salmão assado em papillote, com muitos temperinhos!

camarão com manga

uma adaptação da receita original de kebab de camarão e manga.

pra começar vou avisar de cara: não sou nem um pouco fã de manga. decidi fazer a receita numas de “ver qualé” e ficou SENSA! às vezes super vale a pena experimentar!

ingredientes

400g de camarão limpo

1 colher de azeite

3 colheres de sopa de suco de limão (siciliano é mais gostoso)

2 dentes de alho amassados (ou ralados)

1 colher de chá de gengibre fresco ralado

1 colher de chá de páprica

1 colher de sopa de mel

1 colher de chá de sal

1 manga em cubinhos (vou entrar nesse assunto daqui a pouco)

preparo

misture os camarões com o azeite, suco de limão, alho, gengibre, páprica, mel e sal e deixe marinando por 15 minutos.

retire da marinada, acrescente os cubos de manga e refogue numa frigdeira bem quente por até os camarões cozinharem.

camarão com molho de manga

o que aconteceu: só usei 1/4 de manga e cortei em cubinhos bem pequenininhos para não sentir muito o gosto na hora de comer… mas como usei uma manga muito madura, quando joguei na frigideira quente com o limão da marinada, os cubinhos de manga derreteram, fazendo um molho ligeiramente adocicado e delicioso!